quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Como ligar um motor nitro






















       Se Você é um novato no maravilhoso mundo dos Automodelos RC Nitro e nunca ligou um 
motor desse tipo, então vamos dar um crédito por você não saber como liga-lo. Vai ser uma 
tarefa simples, caso seu motor esteja em boas condições e regulado com as definições de 
fábrica. Caso você não saiba essas regulagens e não possui o manual do motor do seu modelo, 
seria bom ler a postagem: “COMO REGULAR UM MOTOR NITRO”.

Se o seu automodelo RC for novo, seu motor precisará ser amaciado antes de você usar na 
pista. 
Este amaciamento serve para evitar desgaste ou danos prematuros do motor. Veja a
 postagem: COMO AMACIAR UM MOTOR NITRO

Depois de ler e fazer em seu motor as devidas modificações nas agulhas, estará apto a ligar 
seu motor, então pegue os seguintes materiais:
COMBUSTÍVEL - ALMOTOLIA - NI-STARTER - CHAVE DE FENDA - CHAVE DE VELA - STAND


Check-list 

1. Verifique se as pilhas e/ou baterias estão instaladas e carregadas;
2. Quando ligado, verifique se os servos de direção e aceleração estão funcionando como 
deveriam;
3. Faça uma verificação de interferência afastando-se do modelo enquanto opera os controles. 
Veja se você ainda tem controle total na distância da qual você estará pilotando o modelo;
4. Com a Almotolia, encha o tanque do modelo evitando derramar combustível;
5. Verifique se o seu Ni-Starter(Glow) está carregado e funcionando (Para testá-lo, use uma 
vela nova ou de reposição que você sabe que está boa – a vela deverá acender forte;
6. Mantenha o modelo com as rodas suspensas pelo STAND.

Pronto para Ligar o Motor

· Coloque seu modelo sobre o STAND para que as rodas fiquem suspensas. 
· Sempre ligue primeiro o Rádio Controle e depois o interruptor da bateria do receptor 
instalado no automodelo (para desligar faça o inverso, primeiro desligue o interruptor da 
bateria do receptor instalado no automodelo e depois o Rádio Controle).
· Retire o Filtro de Ar, que já deve estar embebecido com óleo de filtro, para ter acesso a 
abertura do Venturi. 
· Posicione o carburador com uma abertura de aproximadamente 1mm na gaveta ou no barril, 
dependendo do tipo do carburador. Veja a postagem: “COMO REGULAR UM MOTOR NITRO”.
· Não se esqueça de recolocar o Filtro de ar após essa regulagem. 
· Nunca ligue seu motor sem o Filtro de Ar. 
· A foto abaixo mostra como deve ficar a abertura.


 
Alimentando o Motor com Combustível

Primeiro, é necessário que o motor seja alimentado com combustível. A mangueira de 
combustível que vai do tanque para o motor geralmente está seca. Para levar o combustível 
do tanque até o carburador, tampe a saída da PIPA e rode o motor por algumas vezes até que 
veja o combustível enchendo a mangueira. Alguns tanques possuem uma bomba que joga o 
combustível para o carburador ao acionar um botão de pressão, como mostra a foto abaixo. 
A maioria dos tanques não possui essa bomba.
 
Depois que o combustível atingiu o carburador, conecte o seu Ni-Starter na vela, ajuste o 
acelerador do seu rádio no modo neutro e, em seguida, ligue o motor usando o método que 
você possui no seu motor, como o RECOIL, PULLSTART, EZ-START, ROTOSTART, DRILL, etc.


Cuidado com o PullStart e/ou Recoil, a cordinha desse equipamento é frágil e não deve ser puxada 
se notar um peso anormal no motor ou se der calço hidráulico. Também não puxe mais que 25cm. 
Lembre-se que quando você puxa a cordinha do RECOIL consequentemente você empurra o 
modelo para baixo, então o peso normal do modelo aumenta significativamente com sua ação e as
 rodas travam mais ainda. Este é o principal motivo de ligar o modelo sempre com as rodas 
suspensas, pois caso contrário, quando o motor ligar a tendência é abrir a embreagem com o giro 
do motor e como as rodas estarão travadas no chão e o modelo forçado para baixo, a sua embreagem 
vai patinar e assim a cada ligada da forma errada, aumenta o desgaste e diminui significativamente a 
sua vida útil.
No caso de usar DRILL(furadeira ou parafusadeira) regule o equipamento para um torque de médio 
para baixo, caso contrário você corre o risco de “moer” as engrenagens do ROTOSTART caso haja
 um calço hidráulico(excesso de combustível na câmara de combustão).
Se tudo estiver certo, em segundos você vai ouvir o ronco do seu motor mostrando que ele está vivo! 
Caso ele não ligue de imediato, verifique as configurações das agulhas de acordo com o manual
 de seu modelo. (Deixe sempre faceadas para ligar e depois regule para andar).


Pronto, agora é só alegria e fumaça na cara...

Artigo de Marco Daher do DFBolhas.blogspot.com

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

O que saber sobre diferenciais!

Um dos fatores mais importantes no acerto de um carro é o correto setup dos diferenciais. Abaixo reproduzo um artigo do site MyRcBox.com, escrito por Sylvain Lafrance. Apesar do artigo tratar muito sobre automodelos off road, espero que aproveitem.



O ajuste dos diferenciais de um RC é muito importante. Aqui está um guia para ajudá-lo a entender como configurar seus diffs e como eles funcionam.

Como funcionam os diffs:

Os diferenciais, ou diffs, são parte de todos os automodelos e seus 
projetos variam ligeiramente de um veículo para outro. No entanto, 
sua ação e configuração ainda são iguais. O diff do centro, existente 
em modelos off road e alguns modelos da 1/8 GT, é o mais importante 
porque transfere energia para os diffs dianteiros e traseiros. Os diffs 
dianteiros e traseiros recebem a energia do diff central e distribuem a 
energia para as rodas esquerda e direita.
 
Diffs também são muito importantes quando o veículo está fazendo 
curvas. Ao curvar, as rodas exteriores rodam mais rapidamente do que 
as rodas internas. Sem os diffs dianteiros e traseiros, ambas as rodas 
estarão girando na mesma velocidade, tornando as curvas mais difíceis 
e aumentando dramaticamente o raio de giro.



A maioria dos diffs são compostos por quatro engrenagens de velocidade e 
dois pinos cruzados
 
Compreendendo o que acontece:
 
Basicamente, o diff transfere poder para um dos seus eixos de tração. 
Por design, o eixo mais fácil de girar (com menor resistência ou tração) receberá 
a potência. Isso também significa que a roda ou o eixo com menos tração 
receberá a maior parte da potência. É aí que os óleos de diferenciais são 
importantes. Você pode comparar a ação do diff a um raio. O raio encontra a 
rota mais curta para atingir o chão. No nosso caso, a energia gerada pelo motor
 irá encontrar (através dos diffs) a rota mais curta (e mais fácil) para girar as 
rodas.
 
Os diferenciais podem ser preenchidos com diferentes pesos de óleo de silicone.
Dependendo do fabricante, o peso (viscosidade do óleo) varia de 1000wt a 
100 000wt. Quanto maior for o número, maior será a viscosidade, ou mais 
espesso, o óleo. Alguns veículos RTR vêm com diffs preenchidos com graxa. 
A graxa é equivalente a óleo de 1000wt. O óleo de diff  "bloqueia" ou "retarda" a 
ação do diff. Um diff cheio com óleo de silicone de 1000wt irá girar mais livremente
 e transferirá energia para as rodas "mais frouxo", mais rápido do que um diff 
preenchido com óleo de 50 000 wt. Isso fará com que a roda interna da curva 
receba mais energia que a roda externa, mantendo a tração e facilitando fazer a 
curva sem perder tração. Se não houvesse um diferencial, ambas as rodas 
empurrariam o carro para fora da curva, seguindo a tendência de seguir em linha 
reta.
 
Alguns fabricantes lançaram diferentes tipos de diferenciais. No oposto do diff convencional, o diferencial Torsen transfere a potência para a roda que tem mais tração. Losi lançou recentemente o SmartDiff, um sistema que "bloqueia" o diferencial ao acelerar e "libera" o diferencial quando desacelera ou freia. O Xray também oferece um diferencial semelhante chamado Active Diff.
Nota importante: porque a ação diff é tudo sobre a tração, certifique-se de ter os pneus certos para a superfície da sua pista antes de experimentar seus diffs.
O diferencial central:

Ao acelerar, o peso é transferido para a parte traseira do veículo. As rodas traseiras ganham mais peso e, por consequência, mais tração do que as rodas dianteiras. O diff do centro transferirá a maior parte do seu poder para as rodas dianteiras, porque elas são mais fáceis de girar e farão os pneus dianteiros balonar. Esta reação também é chamada, descarga de dif. Para evitar esta situação, o óleo do diff do centro mais espesso será o caminho a seguir. Mas ir com um fluido mais espesso não interromperá completamente a descarga do diff durante uma aceleração forte. A ideia por trás do ajuste do diff do centro é descobrir qual espessura de óleo lhe dará a melhor aceleração ao redor da pista sem prejudicar a performance.


É fácil reconhecer o diff central com sua grande engrenagem

O óleo de silicone escolhido deve ser suficientemente fino para transferir mais energia para a frente do que na traseira, ao acelerar. Por quê? Porque você precisa de suas rodas dianteiras para ter mais poder para ajudar o seu carrinho a sair das curvas e manter-se reto sob a aceleração. O óleo também deve ser fino o suficiente para não enviar muita energia para as rodas traseiras, o que fará o seu carro escapar ao sair das curvas porque a traseira derrapará e perderá a tração. Uma densidade básica do óleo do diff central para buggies é 7000wt e para truggies 10 000wt. Um fluido mais grosso no diff do centro fará suas rodas traseiras empurrar o carrinho enquanto o fluido mais fino fará as rodas da frente puxar o buggy. Para obter o melhor do seu diff do centro, não exagere na aceleração. Vá progressivamente com o acelerador, isso evitará a perda de tração.
 O diferencial dianteiro:
A mudança da densidade do óleo do diff dianteiro afeta diretamente a dirigibilidade e a força da direção. Um óleo mais fino permitirá uma entrada de curva mais agressiva e boa potência na saída. Por outro lado, usando um óleo mais espesso fará com que a entrada de curva seja menos agressiva, com menor velocidade na curva, mas com ganho na saída da curva. Isto se deve ao fato de que a roda interna gira mais devagar do que a roda externa. Óleo de diff mais fino "libera" a ação do diff e torna mais fácil para o diff gerenciar seus dois eixos (rodas) em diferentes velocidades.
Veja o que acontece quando você acelera forte enquanto as rodas dianteiras dirigem para a esquerda ou para a direita. A roda interna obterá o máximo do poder e balançará. O óleo de diff mais  grosso "retardará" o efeito de balão da roda interna dianteira. Um boa densidade é 5000wt para um buggy e 7000wt para um truggy.

O diferencial traseiro:

O diferencial traseiro é o mais fácil de acertar. Deve ser ajustado para ser "livre" o suficiente para não diminuir as curvas, mas também deve ser apertado o suficiente para evitar que a roda interna perca tração. A baixa velocidade ou sem aceleração, um diferencial traseiro com óleo muito espesso diminuirá a dirigibilidade, porque é mais difícil para o diff rodar a roda interna a uma velocidade diferente da roda externa. Um óleo muito denso também fará o veículo escapar ao sair da curva. Um bom óleo é 3000wt para buggies e truggies.


Ao virar. as rodas internas rodam mais lentamente do que as rodas exteriores. O peso é transferido para as rodas exteriores.

Se você quiser mais direção na entrada de curvas, use:
§ Óleo mais fino no diff dianteiro
§ Óleo mais fino no diff traseiro

Se você quiser mais direção na saída de curvas, use:
§ Óleo mais grosso no diferencial dianteiro
§ Óleo mais grosso no diferencial traseiro

Se quiser mais tração para a frente, use:
§ Óleo do diff central mais grosso

Para melhor controle nos saltos, use:
§ Óleo do diff dianteiro mais fino
§ Óleo do diff central mais fino

Iniciando o setup dos diffs para buggy:
§ Frente: 5000wt
§ Central: 7000wt
§ Traseiro: 3000wt

Iniciando o setup dos diffs para truggy:
§ Frente: 7000wt
§ Central: 10.000wt
§ Traseiro: 3000wt

Quanto óleo colocar nos diffs?

Se você colocar muito óleo no seu diferencial, ele acabará vazando. Para se certificar de que os seus diffs estão preenchidos de forma adequada, primeiro começe enchendo até a metade e, em seguida, gire as engrenagens do diff para garantir que o líquido flua dentro das engrenagens. Quando o fluido entrou no interior das engrenagens, preencha o diff até que o óleo atinja cerca de 1mm do topo.

Conclusão:

Não há um setup perfeito. Uma configuração aumentará a tração dianteira; outra aumentará a dirigibilidade enquanto diminuirá a velocidade ao sair das curvas.

Pode precisar de muitos testes antes de chegar a um setup ou configuração que funcione bem para você. Leve seu tempo e faça o setup de um diff por vez. Comece com o diff central, seguido pela frente e pelo traseiro. O mais difícil é entender o que os diffs fazem e como eles reagem às mudanças. Uma vez que você se familiarizar, a configuração do Diffs não terá segredo para você.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

LANÇAMENTO 2017 - KYOSHO INFERNO GT3 NITRO 1/8

Kit INFERNO GT3 1/8 Scale Radio Control para motores de .21 a .25 - 4WD Touring Car

Preço de Lançamento nos Estados Unidos: USD$ 785.00

SEJA O PRIMEIRO A CONHECER E COMENTAR ESTE EXCEPCIONAL PRODUTO

Nas lojas a partir de JULHO 2017



Mudança de modelo completa com base no MP9 TKI-4!
O Pacote da nova geração desafia todos os rivais, atuais e futuros...

Com Roll realista e movimentado, além de ser mais fácil de pilotar do que os modelos 1/10 de turismo ou modelos de competição de escala 1/8 Pro, a categoria 1/8 GT desenvolveu um segmento popular em todo o mundo. 
Como uma categoria estabelecida do GP on-road, as especificações aderem aos regulamentos estabelecidos pela IFMAR (Federação Internacional de Modelos de Corridas Automotivas). 
Este kit Inferno GT3 é o modelo ideal para competir na categoria de corridas 1/8 GT. Baseado no modelo da Kyosho, o Inferno MP9 TKI4 1/8 GP buggy, o GT3 representa uma mudança de modelo completa da versão anterior do Inferno GT2. As especificações avançadas fornecem um desempenho de corrida melhorado através de: melhor traçado de superfície realizado a partir de novos amortecedores curtos e de grandes dimensões, fabricados em duraluminio; Resposta do acelerador melhorada com um diferencial mais leve; Manobrabilidade melhorada a partir da distribuição ideal de peso; Sensação segura do traçado, high-grip(alta aderência) através da rigidez ideal do chassi; Forte desempenho na frenagem efetiva, trazendo o peso do chassi para um ponto de apoio, fornece durabilidade essencial e confiabilidade necessária para os pilotos de competição durante longos períodos. O GT3 está totalmente equipado para competir e ganhar sob a pressão das corridas mais intensas e é o caminho mais rápido para a glória das competições.

● Kit de corridas puro baseado no Inferno MP9 TKI4, projetado para corridas de circuito.
●O diferencial significativamente mais leve do que o GT2 aperfeiçoa a resposta do acelerador.
● Choques curtos de grandes furos e molas de amortecedor com base no design da versão buggy.
● O amortecedor de alta rigidez realiza o desempenho necessário para todos os traçados.
● Novo tipo de pistão do amortecedor de uretano aumenta a resistência ao choque.
● Escolha das posições de montagem para a frente e para trás disponíveis para o poste de montagem da Bolha. 
● Inclui a comprovada unidade de câmbio de 2 velocidades com sapatas de embreagem da GT2.
● Peças metálicas de alumínio reforçam o formidável estilo do GT3.
● As peças padrão e opcionais para o MP9 podem ser instaladas para aumentar ainda mais o desempenho.

Desenvolvido com longa distância entre eixos para estabilidade superior em curvas. As modificações em cada seção permitem um desempenho de torneamento igual a carros de distância entre eixos curtos.

Equipado com amortecedores de óleo de traço curto, recentemente projetados, e molas de amortecedores com base em buggy. Maior capacidade em comparação com o GT2 oferece traçado de superfície muito melhorado.

Torres dos amortecedores usinadas em Duraluminio de alta rigidez, combina perfeitamente com os amortecedores de óleo recém-projetados para realizar função de amortecimento bastante confiável.

Os braços de suspensão dianteiros e traseiros do MP9 TKI4 oferecem melhor traçado de superfície e desempenho de giro. Quantidade de ajuste mais amplo permite a otimização para várias situações de pilotagem.

A posição nova do borne do montante da Bolha aumenta a rigidez da fixação evitando muitas vibrações.

A caixa de rádio adota a mesma estrutura separada como o MP9 TKI4. A separação do receptor e da bateria otimiza a distribuição do peso e minimiza o risco de problemas.

Tanque de combustível de grande capacidade: 150cc, suporta longos tempos de operação. Protetor de resina impede que o combustível espirre sobre os freios quando for feito o reabastecimento.

DADOS TÉCNICOS

■ Comprimento 537mm
■ Largura 310mm
■ Altura 116mm (sem motor, carroçaria )
■ Distância entre eixos 359mm
■ Faixa de rodagem 262mm / 266mm
■ Pneus (F / R) Vendido separadamente (pneus de borracha para 1/8)
■ Gear Ratio 1ª Velocidade 10.14: 1 / 2ª velocidade 7.90: 1 
■ Peso 3.270g aprox.
■ Motor de escape traseiro da classe .21

Necessário para operação

  • Sistema Rádio Controle TX/RX de 2-3 canais para automodelos
  • Servo x 2 para carros
  • Bateria para receptor 
  • Motor .21 com escape traseiro
  • Sistema de escape(PIPA e CURVA)
  • Combustível NITROMETANO
  • Ferramentas de Partida(aquecedor de vela, almotolia, caixa de partida)
  • Bolha Pintada
  • Pneus de borracha

Por: Marco Daher







Por: Marco Daher


Extraido do blog DFBolhas.blogspot.com - por Marco Daher.

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Rafael Careca é o campeão do Curitibano 1/8 GT!





























Foi realizado no último domingo, 25/06, a 2ª e última etapa do Campeonato Curitibano de 1/8 GT e 1/10 GP, na pista da CAAR em Curitiba-PR.  Neste ano de 2017 as provas foram divididas em dois campeonatos com duas etapas cada um, sendo que no primeiro semestre tivemos o Campeonato Curitibano e no segundo semestre teremos o Campeonato Paranaense.

O clima ajudou e tivemos um dia de sol e temperatura amena o que não chegou a esfriar as disputas na pista, tanto na GT como na 1/10.

1/8 GT

Na GT tivemos cinco pilotos participando e a estréia do Daniel Saez que finalmente rendeu-se aos GTs. O grid esperado era de sete pilotos mas o Helton Luis Casa e o Tikao Kubota não puderam comparecer.  A tomada de tempo de 10 minutos foi dominada pelo Marcos Silva que fez o maior número de voltas e a volta mais rápida. Em segundo ficou o piloto Roberto Oliveira seguido de Daniel Saez, Rafael Careca e Synnuhê Ramos.

  A primeira bateria foi marcada pela disputa entre Rafael Careca e Synnuhê Ramos e seguidos de perto pelo Roberto Oliveira.  Daniel Saez com 91 voltas completadas terminou em quarto e Marcos Silva com problemas no carro só completou 38 voltas, mas emplacou a volta mais rápida da bateria e melhor do que a sua melhor volta na tomada de tempo: 15:062.


Na segunda bateria repetiu-se a disputa entre Rafael Careca e Synnuhê Ramos com a vitória desta vez para o Ramos. Roberto Oliveira com problemas no carro só completou 60 voltas e Daniel Saez, com a queima do servo do acelerador/freio, chegou a completar 62 voltas e terminou a bateria em terceiro lugar.  Marcos Silva só conseguiu rodar 15 voltas mas surpreendeu e bateu o seu recorde da primeira bateria fazendo a melhor volta em 15:051.


Rafael Careca foi o vencedor da 2ª etapa do Campeonato Curitibano 1/8 GT com Synnuhê Ramos em segundo lugar e Roberto Oliveira em terceiro.

O resultado final da etapa ficou assim:

Computando o resultado desta etapa, o vencedor do Campeonato Curitibano 1/8 GT foi o piloto Rafael Careca, o segundo colocado foi o Marcos Silva e o terceiro ficou com o Roberto Oliveira.  Vejam como ficou a classificação final:


Parabéns aos pilotos vencedores e os aguardamos no segundo semestre para as disputas do Campeonato Paranaense 1/8 GT!

1/10 GP

Na 1/10 também tivemos a presença de cinco pilotos e o retorno de Rodrigo Veiga que não participava de uma prova desde o final do campeonato de 2016.  De acordo com o regulamento nesta etapa, os carros utilizaram-se de bolhas protótipo ao invés das bolhas turismo, o que deu uma aderência maior aos carros. Na tomada de tempo de 10 minutos, valendo a melhor volta, Edson Lima (o taxista voador) levou a pole com o tempo de 13:608, seguido de Otávio Langowski também na casa dos 13,



















Os carros de Edson Lima, Otávio Langowski e Rodrigo Veiga passaram pelas duas baterias incólumes, sem sofrerem nenhuma pane, com o domínio inconteste de Edson Lima que ganhou as duas baterias.  Na primeira bateria foi seguido de Otávio Langowski em segundo e Rodrigo Veiga em terceiro.  Alan Costa e Renato Amaral fecharam o grid na quarta e quinta posições.




















Na segunda bateria o vencedor foi o mesmo, Edson Lima, mas na segunda colocação houve a inversão das posições ficando Rodrigo Veiga em segundo e Otávio em terceiro.  O mesmo aconteceu com o quarto e quinto lugares com a inversão de Renato Amaral e Alan Costa.



















Com tantas inversões de posições entre a primeira e segunda bateria a decisão do segundo ao quinto lugar foi decidido pelo critério técnico previsto no regulamento. Com isso o vencedor da etapa foi Edson Lima, em segundo Rodrigo Veiga e Otávio Langowski em terceiro.

Ficou assim o resultado da 2ª etapa do Campeonato Curitibano 1/10 GP:












Com o resultado da 2ª etapa o campeão do Campeonato Curitibano 1/10 GP foi o piloto Edson Lima, em segundo ficou Otávio Langowski e em terceiro o piloto Alan Costa de Joinville-SC.





















Parabéns aos pilotos vencedores e os esperamos no Paranaense 2017!

FOTOS E VÍDEO


Piloto Rafael Careca e seu mecânico Luck Quintino

Piloto Roberto Oliveira

Piloto Daniel Saez

Piloto Marcos Silva observando o trabalho de seu mecânico.


Piloto 1/10 Rodrigo Veiga

Piloto Synnuhê Ramos


Piloto Edson Lima e seu mecânico Guilherme Hiekis

Piloto Rafael Careca

Piloto 1/10 Alan Costa

Piloto 1/10 Renato Amaral






Quinto colocado na GT - Piloto Marcos Silva

Quarto colocado na GT - Piloto Daniel Saez


Terceiro colocado na GT - Piloto Roberto Oliveira

Segundo colocado na GT - Piloto Synnuhê Ramos

Vencedor da etapa e do Campeonato Curitibano GT - Piloto Rafael Careca

O pódio da GT

Terceiro colocado na 1/10 - Piloto Otávio Langowski

Segundo colocado na 1/10 - Piloto Rodrigo Veiga

Campeão da etapa e do Campeonato Curitibano 1/10 - Piloto Edson Lima

O pódio da 1/10

VIDEO DA ETAPA